Uso da máscara é rotina para 89% dos moradores de Porto Alegre

Em uma parceria do Correio do Povo com o Clube da Opinião, uma pesquisa realizada entre os dias 3 e 5 de setembro, com moradores de Porto Alegre, mostrou como mudou a vida da população com a pandemia. O cuidado com o uso de máscara ao sair de casa é rotina para 89% dos entrevistados. Para 85% das pessoas, o cotidiano está alterado, enquanto apenas 15% está seguindo a vida normalmente.

A atenção no combate à Covid-19 para que familiares não se contaminem é prioridade para 43% dos entrevistados. Em segundo lugar, aparece o alerta com a saúde da população mais carente (20%), seguido do medo de contrair a doença (19%). O temor de perder a vida é apontado por 8%. Já aqueles que não têm medo algum totalizam 11%.

Quando a aferição é por gênero, as mulheres são mais cuidadosas: 95% delas usam máscara sempre que saem de casa. Dos homens, 85% afirma usar o item de proteção sempre. Sobre os efeitos da pandemia na vida das pessoas, os dados são impactantes. A situação econômica piorou para 61%. Outros 36% afirmaram ter recebido algum tipo de auxílio do poder público. Dos entrevistados, 17% estavam desempregados e 18% eram autônomos e seguiam trabalhando. Entre os que trabalham por conta própria, 9% deram uma pausa nas atividades laborais.

Em meio a uma onda de Fake News, a imprensa volta a ter um papel significativo para a população. Televisão, jornal e rádio são os veículos mais confiáveis para as pessoas se informarem sobre o vírus.

De uma forma geral, as pessoas esperavam mais do poder público. A maioria acha que o prefeito Nelson Marchezan Júnior está agindo bem, mas poderia estar fazendo mais (42%). Sobre a atuação do governador Eduardo Leite, 50% dos entrevistados avaliam as medidas adotadas por ele como boas. Já a avaliação do papel do presidente Jair Bolsonaro é adequada para 44% da população de Porto Alegre.

Quando analisado apenas o conceito de que está agindo bem, Bolsonaro é mais bem avaliado que os governantes gaúchos. O presidente tem aprovação de 20%, contra 17% de Marchezan e 16% de Leite.

Fonte original aqui.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Últimas

Estudo mostra que 60% dos Porto-Alegrenses temem piora da covid-19 no Brasil

O estudo realizado pela jornalista e diretora do Clube da Opinião (CDO), Flávia Lima Moreira,  “Pesquisa de opinião sobre os…

Pesquisa analisa impactos da pandemia na vida dos Porto-Alegrenses

Confira aqui o resultado completo da pequisa A pandemia chegou na casa dos porto-alegrenses. Essa é a sensação que a pesquisa realizada…

Novo instituto lança pesquisa eleitoral em Porto Alegre

Fundado há pouco mais de um ano, o Clube da Opinião, empresa que realiza pesquisas virtuais e in loco em…

Uso da máscara é rotina para 89% dos moradores de Porto Alegre

Em uma parceria do Correio do Povo com o Clube da Opinião, uma pesquisa realizada entre os dias 3 e 5…

Parceria viabiliza realização de pesquisas de opinião com leitores do Correio do Povo

B A partir de uma parceria entre o Correio do Povo e o Clube da Opinião (CDO) a posição dos gaúchos estará…

O que os porto-alegrenses pensam sobre o uso de máscara em locais públicos

Serve como um indicativo. Uma sondagem realizada por um novo aplicativo gaúcho de levantamento de opinião mostrou o que 401…

Comece a Opinar Agora

Você já pensou que a sua opinião pode fazer a diferença para muita gente? Nós reconhecemos a importância da opinião de cada pessoa.

Política de Privacidade do Clube da Opinião
O Clube da Opinião respeita sua privacidade. Não extraímos dados a partir do rastro digital deixado por usuários da internet. Perguntamos esses dados de forma transparente, porque acreditamos que é assim que deve funcionar o compartilhamento de dados e opiniões.
 
A navegação no Clube da Opinião implica o consentimento do usuário para coleta, armazenamento e uso das informações cadastrais e de opiniões recebidas através de pesquisas/painéis.
 
O Clube da Opinião tem como objetivo ouvir a sociedade, conhecer suas opiniões e divulgá-las, buscando dar voz ao que pensam os entrevistados. Para participar e dar a sua opinião, o usuário tem de disponibilizar informações pessoais como nome completo, cidade, estado, CPF entre outros para que possa ser realizado, em cada etapa, o processo de auditoria.
 
Os dados e informações serão utilizados apenas pelo Clube da Opinião. Ou seja, não serão compartilhados de forma individual com nenhuma empresa ou iniciativa.
 
Caso alguma informação tenha objetivo diferente do disposto acima, será solicitado o consentimento dos participantes.
 
Além das informações cadastrais fornecidas pelo usuário, o Clube da Opinião recebe e registra automaticamente informações sobre o software e hardware da plataforma que acessa nosso sistema, incluindo o endereço IP. As informações pessoais recolhidas serão usadas para ajudar o usuário a tornar a sua visita no nosso site o mais produtiva e agradável possível.
 
Nosso site tem rigoroso sistema de segurança para a proteção dos dados do usuário.
 
Ao participar das pesquisas/painéis do Clube da Opinião, o usuário autoriza a divulgação de sua opinião desde que sob total anonimato.
 
O conteúdo gerado através das pesquisas/painéis será utilizado pelo Clube da Opinião para entender o comportamento da sociedade.
 
Todo conteúdo ou material compartilhado pelo usuário com o Clube da Opinião (incluindo texto, fotografias, gráficos, vídeo ou áudio), terá os direitos autorais cedidos ao CDO, resguardada a condição do anonimato do usuário.
 
A garantia da confidencialidade dos dados pessoais dos utilizadores do nosso site é muito importante para o Clube da Opinião. Nós não fornecemos os dados pessoais dos usuários a terceiros.
 
Todas as informações pessoais relativas a membros, assinantes, clientes ou visitantes do Clube da Opinião serão tratadas em concordância com a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nº 13.709/2018).
 
O Clube da Opinião utiliza cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências, quando visita o nosso site. Isso pode incluir um simples pop-up.
 
O direito à proteção dos dados tem fundamento genérico na Constituição Federal de 1988. O Marco Civil da Internet reconhece tal direito.
 
O preenchimento do formulário do Clube da Opinião pressupõe a aceitação desse acordo de privacidade.